julio plaza

Julio Plaza: quem foi esse artista que driblou a censura com criatividade?

Julio Plaza foi um espanhol que atuou, com brilhantismo, na gravura, pintura, escrita e design. Radicado no Brasil, mais precisamente em São Paulo, na década de 1970, esse artista multimídia também exerceu um papel emblemático como professor. 

Pouco se sabe sobre a infância de Julio Plaza, visto que ele , aparentemente, tinha uma personalidade mais introspectiva e não concedia muitas entrevistas. 

Além disso, não era dado a estrelismos a vaidades. Muito pelo contrário, seu intuito ao longo de sua sólida carreira foi o de desmistificar a arte, dar múltiplos significados e interpretações a ela e mostrar que toda obra está ao alcance de todos. 

Em sua trajetória, valorizou muito o conceito por trás da criação e enalteceu o desapego criativo e egóico do artista em relação às suas composições. 

Para conhecer a biografia de Julio Plaza, entender sua estética e linguagem, convidamos você a ler este post. Aproveite sua leitura!

Biografia de Julio Plaza: o início da carreira e a mudança para o Brasil 

Nascido em Madrid, na Espanha, em 1938, Julio Plaza inicia seu trabalho como artista bastante jovem, ainda na década de 1950. 

Dono de uma personalidade curiosa e em busca de novos aprendizados, frequenta uma série de exposições de diferentes museus, não só de seu país, mas de outras regiões do velho continente, inclusive da França, onde estuda na Escola de Belas Artes de Paris.

Seus primeiros trabalhos revelam uma estética figurativa. Porém, aos poucos, ele adere a narrativas construtivistas. Assim, cria peças com base no objetivo de construir, com poucas cores e muitas formas, e com uma clareza de pensamento que esbanja simplicidade, ousadia e complexidade ao mesmo tempo. 

Essa estética o guia durante os anos 1960. Em 1967, viaja para o Brasil, para participar da Bienal Internacional de São Paulo. O governo oferece uma bolsa de estudos a ele, que ingressa na Escola Superior de Desenho Industrial – ESDI, no Rio de Janeiro. 

Em seguida, entre 1969 e 1973, vive na América do Norte, mais especificamente para Porto Rico, onde atua como professor de linguagem visual e artes plásticas, em uma universidade local. Pouco depois, se muda em definitivo para o Brasil, onde leciona em duas instituições de renome da capital paulistana. 

Confira também:

Os novos olhares do artista 

A experiência e o conhecimento mais profundo sobre a vida e a arte despertam o interesse o espanhol em estudar e orientar suas pesquisas para novas tecnologias. Assim, começa a explorar linguagens multimídia, como fotografia, vídeo e cinema, que juntas, dão vazão a novos olhares do artista. 

Nessa mesma época se casa com Regina Silveira.

Também produz obras em serigrafia. Utilizando técnicas originais e transpondo o cotidiano para  suas peças, Julio Plaza dribla a censura do regime militar com projetos  inusitados. 

A limitação imposta pela censura não limita a arte do espanhol, pelo contrário, desenvolve sua criatividade e técnica ao mais elevado grau. Assim, o trabalho do artista promove o questionamento do que realmente seja uma obra de arte.

Nesse período, também dialoga com a arte conceitual e abstrata, e traz em cena uma veia irônica do artista que, junto com Regina Silveira, cria um conjunto de peças que parodiam técnicas de pintura. 

No fim da década de 1970, publica seu primeiro livro-objeto. Combinando leitura com arte, essa peça traz um híbrido do convencional com o avesso a convenções. 

Logo, uma nova década se inicia. Com ela, o espanhol se foca em novas experimentações e começa a exaltar a tradução intersemiótica, que nada mais é do que a transposição de um sistema de signos para outro. 

Faz isso, usando o poema ou outra peça literária, mantendo seu conceito e proposta, e o transferindo para outro código, que pode ser tanto sonoro como visual.

Gosta tanto do tema que decide ingressar em um doutorado para aprofundá-lo. Assim, em 1985 conclui seu curso e, dois anos depois, se separa de Regina Silveira. 

Já nos anos 1990, parte para Campinas, onde leciona no Departamento de Multimeios do Instituto de Artes da Unicamp.

Julio Plaza se despede da vida e da arte em 2003, em decorrência de um derrame. 

Julio Plaza e suas obras mais famosas

O Arco-Íris no Ar Curvo 

biografia de julio plaza

Crédito: Enciclopédia Itaú Cultural 

Il Limite di un Corpo 

Crédito: Enciclopédia Itaú Cultural 

Objetos

julio plaza obras

Crédito: Enciclopédia Itaú Cultural

Objeto Dobrável I

julio plaza obrasCrédito: Laart. Foto de Joca Meirelles

Objeto Dobrável IIjulio plaza obras

Crédito: Laart. Foto de Joca Meirelles 

Gostou de conhecer a biografia e as obras de Julio Plaza? Compartilhe sua opinião nos comentários abaixo, ela vale muito para a Laart!

Sabe o que também a Laart valoriza bastante? A democratização da arte. Não é à toa que essa galeria de arte virtual especializada em gravuras traz, em seu acervo, mais de 15.000 peças a preços, linguagens e estilos variados dos mais importantes artistas, inclusive de Julio Plaza e de Regina Silveira

Todas as obras da Laart são originais, exclusivas e assinadas. Além disso, são de tiragem limitada e contam com certificado de autenticidade. 

Se você gostou da proposta da galeria e curtiu o estilo de Julio Plaza, clique aqui e confira as gravuras disponíveis do espanhol no acervo!

Share with

There are no comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart
Não há produtos no carrinho.