Não há produtos no carrinho.
arquitetura desconstrutivista

Arquitetura desconstrutivista: o que é esse gênero arquitetônico tão diferente?

Misturando uma boa dose de caos com uma aparência que fascina pela estranheza, originalidade e caráter futurista, a arquitetura desconstrutivista simboliza o que há de mais moderno na arquitetura contemporânea. 

Isso porque, além de se basear em um conceito que rompe paradigmas, o desconstrutivismo na arquitetura também reformula as propostas básicas de construção presentes em projetos mais clássicos, como os da arquitetura rococó, por exemplo.

Dessa forma, não é de se estranhar que obras projetadas e construídas nesse estilo sejam assinadas por arquitetos desconstrutivistas excêntricos, visionários e extremamente sagazes. 

Para entender o que é arquitetura desconstrutivista, conhecer os seus principais mestres e também obras do estilo, basta ler este post até fim.  Boa leitura!

O que é arquitetura desconstrutivista?

A arquitetura desconstrutivista é um gênero arquitetônico caracterizado pela fragmentação, distorção e por suas formas alineares e não retilíneas. 

Esse estilo teve como uma de suas fontes de inspiração o construtivismo russo da década de 1920, que pregava experimentações e desequilíbrios geométricos em suas formas. 

Dessa forma, a desconstrução na arquitetura despontou como uma espécie de oposição às regras formais e à pureza e à simplicidade da arquitetura moderna.

Apesar do caráter vanguardista desse estilo, é válido ressaltar que a arquitetura desconstrutivista não apresenta a conotação mais simplória do termo.

Ou seja, ela não traz um caráter subversivo que remeta à desconstrução de obras. Na verdade, ela se apresenta como um gênero diferente que questiona e contempla diferentes influências. Logo, muitos projetos e construções desconstrutivistas também trazem aspectos da arte cubista e da estética expressionista, por exemplo.

Como surgiu o desconstrutivismo na arquitetura? Entenda o conceito

O desconstrutivismo na arquitetura despontou na década de 1980 junto com as indagações do filósofo argelino Jacques Derrida. Nesse período, o filósofo fez reflexões profundas sobre crenças preconcebidas em torno da razão e da lógica. 

Ou seja, ele buscou difundir que o significado das coisas muda de acordo com o tempo e com a percepção, assim como promoveu a ideia de que elementos que parecem antagônicos e contrários, na verdade, podem ser complementares. Isto é, o bem existe porque há também o mal. 

“Se um trabalho parece tão ameaçador, não é porque ele é excêntrico ou estranho, é porque ele é bem argumentado e feito com convicção”. 

Para a arquitetura, esse pensamento fez surgir a proposta da desfragmentação das construções. Em outras palavras, quis desafiar a ideia de que um edifício é apenas uma obra, pois ele pode ser representar muito mais e deve causar inquietação, reflexão e, logo, criar laços emocionais com os seus espectadores. 

De forma simples isso quer dizer que além de apresentar o seu caráter funcional, uma construção também pode contar com uma forma que remeta a um movimento, como um “aceno” e que, assim, transcenda a sua função. 

Características da arquitetura desconstrutivista

O desconstrutivismo na arquitetura não conta com um design ou estilo consistente. É exatamente isso que o torna tão única e admirável. No entanto, esse gênero traz algumas similaridades em suas obras, como:

  • a manipulação de superfícies;
  • as formas não retilíneas e distorcidas;
  • a fragmentação;
  • a aparência que foge à tradição; 
  • o aspecto que remete à falta de harmonia; 
  • construções que parecem desafiar a gravidade e a estabilidade;
  • a transformação de planos simples em mais elaborados;
  • a presença de formas retangulares e trapezoidais;
  • o fato das construções darem margem a interpretações variadas. 

Principais arquitetos desconstrutivistas e suas obras de cair para trás

Confira, agora, quais são os principais arquitetos desconstrutivistas e suas obras mais famosas.

1. Peter Eisenman

Peter Eisenman é um arquiteto americano conhecido como o precursor do estilo desconstrutivista. Isso porque enquanto o filósofo Jacques Derrida criava o conceito, o arquiteto o colocava em prática. 

Seu nome começou a ficar conhecido na década de 1960, quando fez parte do grupo New York Five. Contudo, a sua estética desconstrutivista ficou famosa um pouco mais tarde, quando suas obras começaram a apresentar uma das características mais marcantes do estilo: a fragmentação. 

desconstrutivismo na arquitetura

House VI. Crédito: Athome 

2. Frank Gehry 

Frank Gehry é um arquiteto canadense conhecido por criar projetos desconstrutivistas grandiosos. 

Considerado um dos principais arquitetos contemporâneos do mundo, ele compõe  obras que mesclam arquitetura com arte. 

Além disso, também é conhecido como “arquiteto das estrelas”, um título que rejeita, pois se considera “apenas um arquiteto”. 

arquitetos desconstrutivistas

Louis Vuitton Foundation. Crédito: Divisare 

3. Zaha Hadid 

Nessa lista de principais arquitetos desconstrutivistas não poderia deixar de estar uma arquiteta! Afinal, a iraquiana Zaha Hadid foi a primeira mulher a receber o Prêmio Pritzker de Arquitetura e, ao longo de sua vida, conquistou vários outras condecorações importantes.

Não foi à toa. Afinal, ela compôs projetos e obras desconstrutivistas que chamam a atenção pela exuberância e pelo caráter futurista.

arquitetos desconstrutivistas

Estação funicular de Hungerburgbahn, Innsbruck. Crédito: Wikipédia 

4. Daniel Libeskind

Daniel Libeskind é um arquiteto polonês naturalizado americano que sempre buscou transmitir para suas obras desconstrutivistas a memória cultural de seus povos. 

Assim, criou projetos e elaborou construções que abusavam de formas geométricas e de fragmentos que se confundiam e se completavam de modo icônico. Para isso, fez uso constante de materiais que remetem ao futuro, como o vidro. 

arquitetura desconstrutivista

 Royal Ontario Museum Crystal . Crédito: Studio Libeskind 

Gostou de saber mais sobre arquitetura desconstrutivista? Esse estilo o inspirou? Compartilhe sua opinião com a gente!

O aprendizado sobre arte e arquitetura acontece de diversas formas, tanto pela prática e experiência, como pela leitura de blogs, acessando podcasts, visitando museus e, até mesmo, seguindo perfis de instagram sobre o assunto, como o da Laart

Para sempre se manter bem-informado sobre esses temas, não deixe de visitar o blog da Laart! Aproveite também para assinar a nossa newsletter. Sua caixa postal terá novidades quentinhas sempre! 

Crédito da foto de capa: Widewalls

Compartilhar com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *