Não há produtos no carrinho.
evandro carlos jardim

Evandro Carlos Jardim: biografia e obras do expert da gravura

Evandro Carlos Jardim é um dos maiores especialistas em gravura que o Brasil já teve. Avesso a modismos, o artista enxerga nessa técnica uma atemporalidade que independe de tendências, vanguardismos e modernidade. 

Para ele, a essência da gravura é aberta, ou seja, é totalmente independente de condições de tempo e espaço. Além disso, não demanda explicação, uma vez que qualquer tipo de justificativa representa uma atitude radical e autoritária que pode invalidar a alma e o significado da obra. 

Com uma visão que contempla a gravura não só como obra, mas também como linguagem, Evandro de Carlos Jardim, acredita que as obras de arte representem um mistério para seus espectadores, que só é desvendado a partir do momento que eles conseguem entendê-las como manifestação humana sensível. 

Curioso em conhecer a biografia e as gravuras de Evandro Carlos Jardim? É só ler este post até o fim! 

Biografia de Evandro Carlos Jardim: a trajetória do ícone da gravura brasileira

Nascido em 1935, na cidade de São Paulo, Evandro Carlos Jardim ingressa na Escola de Belas de São Paulo aos 18 anos, em 1953. Assim, inicia sua jornada no universo da arte estudando pintura e, em seguida, escultura. 

Em 1956 e 1957 acontece seu maior contato com a gravura em metal e se apaixona pelo processo, especializando-se  em técnicas de água-tinta e água-forte. 

Para o paulistano, a gravura está totalmente conectada à origem da arte, como mostram suas palavras em entrevista ao Jornal da USP:

“É uma das primeiras manifestações humanas de comunicar algo, de reter e passar o acontecido. E isso aconteceu no corte, na pedra dura, nos ossos. Importante destacar que a gravura continua se manifestando em todas as áreas do conhecimento.”

O trabalho artístico e a vida acadêmica 

É exatamente enaltecendo o conhecimento e o poder do aprendizado que o artista começa a produzir intensamente em gravura e, paralelamente, inicia sua vida acadêmica. 

Assim, torna-se Mestre e, posteriormente, Doutor pela USP em Artes Plásticas, tornando-se um dos professores mais aclamados de algumas das universidades mais importantes do Brasil, como a Fundação Álvares Penteado, a Escola de Belas Artes e a Universidade de São Paulo. 

Discreto e com uma humildade ímpar que mostram a segurança e a maturidade de um artista que não permite que a vaidade dite seu trabalho, Evandro Carlos Jardim crê que “a arte não se ensine, ela se aprende”. 

O seu discurso, personalidade e sabedoria podem ser conhecidos melhor no vídeo abaixo, que traz uma entrevista espetacular com o mestre. 

O amor pela pintura e pela gravura 

As gravuras de Evandro Carlos Jardim expressam sua personalidade, uma vez que são intimistas e um tanto quanto silenciosas. Suas obras retratam a beleza do dia a dia de forma sublime e poética. 

Sem falar na elevada qualidade técnica, que, no decorrer de sua trajetória, é expressa por meio de diferentes estéticas, que mesclam desenhos mais realistas e figurativos com formas mais abstratas e conceituais, representadas pelas formas geométricas. 

Apesar de ser grandemente conhecido por suas peças em gravura, os desenhos e as pinturas do artista também jamais podem ser deixados em segundo plano. Isso porque o paulistano também enaltece esses gêneros de modo sensível e puro. 

Algumas palavras e citações do artista podem ser encontradas na obra de Yvoty Macambira

“Os desenhos e os registros… Sem isso eu não faria gravura. Não faço uma gravura porque eu quero fazer gravura, mas porque tento deslocar uma realidade ou registrar alguma coisa. Para mim as coisas passam por aquela linha de expressão que brota de necessidades internas”.

Assim, valoriza pequenos dramas do cotidiano, sem exagero ou alarde, trazendo à tona temáticas delicadas da natureza,  como a morte de um cavalo, expressa com uma abordagem que se aproxima da estética surrealista

Nesse sentido, não podemos deixar de destacar o modo de se expressar do artista ao utilizar a técnica da gravura. Afinal, ele não emprega o buril à toa, tampouco tem como objetivo usar suas técnicas como multiplicadoras de imagens, mas como modo de refletir sua estética e pensamento. 

Evandro Carlos Jardim tem uma visão holística sobre o fazer artístico. Para ele, três questões devem dialogar e ser combinadas, sendo elas: a material, a espiritual e psíquica, uma vez que elas expressam a verdade do artista enquanto ser humano. 

Além disso, o professor acredita que o além do estudo sobre a arte em si e das técnicas, aquele que quer aprender a construir sua estética, deve ampliar seus estudos para a filosofia e, até mesmo para áreas que comumente não são associadas imediatamente com a arte, como a química. Isso porque entender processos como a corrosão agregam muito ao conhecimento e ajudam a aprimorar técnicas. 

Porém, essa visão deve acontecer de modo natural. Isto é, para Evandro Carlos Jardim, é o trabalho e a obra que devem conversar com o  criador e, assim, despertar essa necessidade de explorar outros conhecimentos. 

Essa visão profunda e transformadora sobre a arte trouxe ao grande mestre o Prêmio de Melhor Gravador do Ano, o que aconteceu em 1974. 

Já durante as décadas de 1960 a 1980, o artista plástico promoveu leilões para que suas peças pudessem auxiliar as famílias de presos políticos, uma atitude que comprova o modo como ele não só vê a arte, mas também a vida. 

5 gravuras de Evandro Carlos Jardim 

A Vista mais distante da Árvore

evandro carlos jardim obras

Crédito: Enciclopédia Itaú Cultural 

A Grade que acompanha o Vento

evandro carlos jardim obras

Crédito: Enciclopédia Itaú Cultural 

O Cavalo morto está só 

evandro carlos jardim obras

Crédito: Enciclopédia Itaú Cultural 

Sobre a Essência e a Cor 

evandro carlos jardim obras

Crédito: Enciclopédia Itaú Cultural 

Gravura em metal 

evandro carlos jardim gravuras

Crédito: Laart. Foto de Joca Meirelles

Gostou? As obras de Evandro Carlos Jardim também podem ser encontradas na Laart. 

A Laart é uma galeria de arte online especializada em gravuras que enaltece o trabalho de artistas brasileiros e latino-americanos. 

Além de gravuras de Evandro Carlos Jardim, o acervo da Laart conta com muitas outras peças em gravura em metal. 

Todas as obras da Laart são exclusivas, assinadas e apresentam certificado de autenticidade. 

Crédito da foto de capa: A Tribuna

Compartilhar com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *