estilo internacional

Estilo Internacional: como surgiu este gênero de vanguarda?

Mais um movimento do que um gênero estético, o estilo internacional surgiu na Europa logo após a Primeira Guerra Mundial para reeguer as cidades destruídas. 

Sendo assim, foi considerado um símbolo de progresso que foi além da arquitetura e do design, uma vez que também tomou conta das ideias de grupos de esquerda da década de 1930 que, cansados dos regimes totalitários e ditatoriais, abraçaram a proposta do estilo e, dessa forma, propuseram um novo olhar também para questões de ordem política e social.  

De regiões da Europa como Holanda, Alemanha e França, o estilo internacional no design e na arquitetura se expandiu para os Estados Unidos. Na “Terra do Tio Sam”, o gênero ganhou destaque na década de 1950, aproveitando o momento de desenvolvimento tecnológico e de expansão econômica que o país vivenciava e que permitia que ideias e conceitos modernos fossem adotados. 

Assim, o estilo internacional da arquitetura floresceu e trouxe como grande símbolo os famosos arranha-céus. 

Foi por estas questões que o gênero é chamado por alguns como arquitetura moderna. Porém, trata-se de uma associação equivocada, pois a arquitetura moderna se baseia em um conceito muito mais amplo e se refere não só ao estilo internacional como também a outras vanguardas, como o brutalismo.

Para saber mais sobre o tema, conferir exemplos e conhecer as características do estilo internacional na arquitetura, basta seguir com sua leitura!

O que é o estilo internacional?

O estilo internacional nasceu baseado no conceito do funcionalismo. Isto é, pregava que o design e, principalmente a arquitetura, fossem criados com simplicidade e que seus profissionais projetassem suas obras de forma que elas fossem práticas e úteis. Sendo assim, repudiava as cores e a ornamentação e, ao mesmo tempo, exaltava o uso de materiais e elementos modernos. 

A expressão estilo internacional foi utilizada pela primeira vez por Henry-Russell Hitchcock, um dos grandes historiadores da arquitetura americana e por Philip Johnson, um dos principais arquitetos do século XX, em 1932. 

Quais foram as bases deste gênero? 

As bases desse gênero trouxeram à tona as ideias e conceitos de gênios como Le Corbusier e  Walter Gropius . Ou seja, também apresentaram os preceitos da arquitetura moderna, negando os estilos anteriores por os considerarem obsoletos e rejeitando qualquer tipo de ornamentação. 

O nome “internacional” foi adotado porque as obras do movimento eram tão funcionais e práticas que podiam ser abraçadas para atender às necessidades de todos os países. 

Vale destacar que apesar desse movimento ter ficado mais conhecido nos anos 1930,  suas ideias já estavam sendo discutidas no começo do século XX.  Neste momento, a insatisfação dos arquitetos com a art déco e art nouveau crescia, visto que eles repudiavam o caráter extremamente decorativo destes estilos. 

Além disso, alegavam que a ornamentação não apresentava quase nenhuma relação com o funcionalismo das construções e consideravam este fato extremamente negativo. 

O estilo se expandiu também devido ao contexto histórico do momento. Isso porque o crescimento econômico deu origem a um grande de edifícios comerciais e escritórios. Logo, quanto mais “simples” fossem, mais rapidamente eles poderiam ser construídos. 

Outro ponto que merece atenção especial é que nesta época novos elementos e tecnologias estavam sendo cada vez mais adotados. Logo, não é à toa que materiais como vidro, aço e concreto armado fossem os mais utilizados nas construções do estilo internacional. 

Esses três fenômenos combinados formaram este gênero, o qual buscava propor uma arquitetura não só mais funcional, como também mais barata. Com base nisso, o estilo ganhou destaque e seu apogeu apresentou algumas das construções mais icônicas de todos os tempos: os arranha céus. 

Quais as características do estilo internacional na arquitetura? 

  • formas retilíneas;
  • superfícies planas;
  • espaços interiores abertos;
  • ambientes amplos;
  • planta flexível;
  • simplificação da forma;
  • prevalência de formas abstratas;
  • rejeição à decoração;
  • uso constante do vidro, aço e do concreto;
  • aspecto minimalista;
  • predomínio dos espaços em branco.

O declínio do estilo internacional no design e na arquitetura 

A partir de 1970, alguns arquitetos e designers começaram a demonstrar imensa insatisfação com o estilo, por o considerarem restrito e estereotipado. Esse sentimento culminou em uma reação contra não só ao gênero como a todos os preceitos da arquitetura moderna. 

Com o objetivo de criar obras mais criativas e livres e de usar outros materiais, esses profissionais rejeitaram o caráter “quadrado” do estilo e propuseram um novo olhar para a arquitetura. 

Este novo movimento atingiu seu ápice entre o fim dos anos 1970 e o começo dos 80 e ficou conhecido como pós-modernismo. 

5 construções e peças do estilo internacional 

Lovell House

estilo internacional arquitetura

Crédito: Wikipédia 

Paimio Sanatorium

características do estilo internacional na arquitetura

Crédito: Wikipédia 

Prudential Tower 

estilo internacional

Crédito: Wikipédia

Seagram Building

estilo internacional

Crédito: Wikipédia

Poltrona Barcelona

estilo internacional design

Crédito: JB Design

O que você achou deste post? Caso tenha curtido, aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais!

Também não deixe de assinar a newsletter da Laart para receber conteúdo quentinho sempre! 

Convidamos você a seguir a galeria no Instagram. Lá, você pode encontrar posts, testes e quizzes bastante interessantes!

A Laart é uma galeria de arte online especializada em gravuras, que traz em seu acervo mais de 15.000 obras originais, exclusivas e assinadas. Que tal conhecê-las? Para isso, basta clicar aqui!

Crédito da foto de capa: Wikipédia.

Share with

There are no comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart
Não há produtos no carrinho.