Não há produtos no carrinho.
arte concreta

O que é a arte concreta e como este movimento influenciou as artes

Quando não há um entendimento pleno sobre um determinado assunto, muitas vezes se cria um estigma em torno dele. Isso acontece com a arte concreta. Assim, se quer compreender a proposta desse movimento e conhecer seus limites, basta ler este artigo até o fim! 

O que é arte concreta?

A primeira definição relacionada ao conceito de arte concreta foi feita pelo artista holandês Theo Van Doesburg. Para ele, a arte concreta era qualquer tipo de arte abstrata que não contasse com elementos figurativos e referências simbólicas. 

arte concreta

Crédito: Tate 

Em outras palavras, essa corrente artística nasceu com a proposta de romper com o simbolismo e promover uma arte que expressasse a mais profunda clareza. Dessa forma, as peças dessa corrente são idealizadas sem referências, apenas com “ideias concebidas pela mente”.

Assim, as obras devem significar apenas o que são, sem significados ocultos. Além disso,  sua produção não pode estar atrelada a qualquer associação naturalista, sentimental e nem deve remeter à sensualidade.

Dessa forma, a arte concreta nega o subjetivismo e o lirismo de outros movimentos artísticos. Assim, prestigia a plasticidade, ou seja, os planos e cores que compõem uma peça, a qual só tem um significado: “ela mesma”. 

Como resultado, a maior parte da arte concreta é baseada em imagens e padrões geométricos. Logo, é comumente chamada de abstração geométrica, uma linha que está alinhada à estética clássica. Afinal, segundo Platão, a beleza se sustenta em seu conceito ideal ou na geometria de um elemento, não na veracidade de sua aparência no mundo real.

Outro sinônimo de concretismo é “arte não objetiva”. Os primeiros pioneiros dessa forma de arte de vanguarda incluem Kandinsky (1866-1944), Piet Mondrian (1872-1944) e Kazimir Malevich (1878-1935).

Oposição ao expressionismo abstrato

Contrastando com a iconografia geométrica e sem emoção da arte concreta, o expressionismo abstrato se caracteriza pela subjetividade, liberdade artística e pelo sentimento.

Logo, o concretismo se opõe a essa corrente, já que vai contra a representatividade baseada em associações naturais com o mundo. 

Poesia concreta

Poemas concretos são objetos compostos de palavras, letras, cores e tipos de letra, nos quais o espaço gráfico desempenha um papel central no design e no significado. 

Sendo assim, a poesia concreta é totalmente atrelada ao seu significado visual. Logo, não valoriza a estrutura poética, mas utiliza, com ousadia, elementos visuais, verbais e cinéticos. Também chamada de poema-objeto, a poesia do concretismo não se preocupa com a estética tradicional dos versos e pode ser lida de diferentes formas. 

concretismo

Crédito: Descomplica

História da arte concreta

As formas geométricas que compõem as obras abstratas apareceram muito antes do conceito de arte concreta existir. A arte islâmica, por exemplo, é famosa por seus desenhos geométricos, como os arabescos. Sem falar nos desenhos celtas, repletos de labirintos e figuras em espiral.

Mais tarde, os movimentos do século XX, como o Cubismo (1908-14), o Futurismo (1909-14) e De Stijl (1917-31), fizeram uso desse estilo. Kandinsky e as escolas como a Escola de Design Bauhaus também são exemplos emblemáticos. No entanto, esse conceito ganhou fama em Paris, em 1930, quando surgiu o Manifesto de Arte Concreta de Van Doesburg.

Por meio desse texto, o artista argumentou em favor de uma arte livre da realidade observada e sem apresentar conotações simbólicas. Assim, quis criar uma arte focada em si mesma. Além disso, em sua visão, as linhas, as cores e as formas de uma pintura representavam a realidade de uma obra. Logo, era contra a criação de uma profundidade falsa na pintura e a imitação de elementos da natureza. 

Principais artistas do concretismo

Entre os principais artistas do concretismo, destacaram-se:

  • Theo van Doesburg: pintor e arquiteto holandês;
  • Gottfried Honegger: pintor, escultor e designer gráfico suíço;
  • Max Bill: escultor, pintor, escultor, designer, desenhista e arquiteto suíço;
  • Erich Hauser: escultor alemão.

No Brasil, o concretismo também desempenhou um papel fundamental no circuito da arte. Essa corrente tomou força no Brasil com Mário Pedrosa. Tratava-se de um crítico de arte que se opunha ao figurativismo proposto pela Semana de Arte Moderna de 22. O objetivo do crítico era distanciar a imagem brasileira do regionalismo e de seu caráter exótico.

Logo, o movimento se dividiu no Brasil. Formado pelo Grupo Ruptura, que marcou a corrente concreta em São Paulo, os artistas se guiavam pelas regras rígidas do movimento. Já o grupo Frente, no Rio, seguiu as regras da corrente, mas com mais flexibilidade.

 Assim, os artistas do movimento concretista brasileiro que mais se destacaram foram:

  • Waldemar Cordeiro;
  • Lothar Charoux;
  • Geraldo de Barros;
  • Ivan Serpa;
  • Ferreira Gullar;
  • Lygia Clark;
  • Lygia Pape, entre outros. 

Quer saber o movimento concretista no Brasil? Então, não deixe de ler: “O movimento concretista, os artistas e as obras da arte concreta no Brasil”. 

De Ferreira Gullar, a gravura abaixo representa bem o conceito da arte concreta. Gostou dessa peça? Pois ela está no acervo da Laart! Clique aqui e saiba tudo sobre ela! 

movimento concretista

Crédito: Laart. Foto de Joca Meirelles

Além da gravura de Ferreira Gullar, há muitas outras obras que podem ser adquiridas no acervo da Laart. Clique aqui e conheça as mais interessantes gravuras de artistas do movimento concretista. Exclusivas e de tiragem limitada, elas chegam com segurança em sua casa ou ateliê. 

 

Compartilhar com

Comments

  • muito bom!

    vinicius
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *