arquitetura expressionista

Arquitetura expressionista: conheça a história e o legado desse movimento vanguardista

Surgida no início do século XX, a arquitetura expressionista é considerada uma das três principais vertentes da arquitetura moderna, junto com a internacional e a construtivista.

Esse movimento arquitetônico foi especialmente importante por conta do período histórico e contexto geográfico no qual surgiu: nos países da Europa setentrional (Alemanha, Holanda, Áustria e outros) antes da Primeira Guerra Mundial.

As tendências desse período marcam uma busca maior por experimentação, quebras de paradigmas, distorção de elementos, cores e formas e uso de novos materiais como o vidro. Tudo com o intuito de oferecer novas possibilidades arquitetônicas e artísticas para uma sociedade em profunda transformação.

Conheça mais sobre esse movimento e as características da arquitetura expressionista.

O que é a arquitetura expressionista?

A arquitetura expressionista é um movimento que despontou na Europa no início do século XX, especificamente na Alemanha, Holanda, Áustria, República Tcheca e Dinamarca. Ao lado da arquitetura construtivista e do estilo internacional, faz parte da arquitetura moderna.

A princípio, é considerado como arquitetura expressionista o que foi produzido durante o período de 1910 até 1924. Mas depois isso foi expandido para a partir de 1905 e se estendeu também até os efeitos que teve no neoexpressionismo nos anos 1960.

Esse estilo arquitetônico se desenvolveu em paralelo às artes visuais do expressionismo, durante o período pré, durante e pós Primeira Guerra Mundial. Neste contexto político, a comunidade artística estava disposta a fornecer respostas para uma sociedade em transformação, buscando assim novas soluções, especialmente na arquitetura.

Muitos arquitetos expressionistas inclusive lutaram na Primeira Guerra Mundial. Por conta de suas experiências e do período de agitações políticas, muitos se juntaram a uma perspectiva utópica do socialismo.

Devido a algumas limitações econômicas daquela época, muitos projetos importantes da arquitetura expressionista ficaram apenas no papel. No entanto, a cenografia do teatro e do cinema possibilitaram uma nova saída para as criações expressionistas.

Um dos principais expoentes da arquitetura expressionista é o polonês Erich Mendelsohn. Seu contato com o expressionismo se deu por meio de sua amizade com o arquiteto americano Frank Lloyd Wright.

A principal obra de Erich é a Einsteinturm ou Torre de Einstein, que foi construída em 1917. Como era de família judia, Erich teve que emigrar para a Inglaterra e depois Estados Unidos durante o nazismo. Em São Francisco, realizou vários projetos, especialmente para a comunidade judaica.

Além de Erich, outros nomes importantes da arquitetura expressionista são Bruno Taut, Walter Gropius, Mies van der Rohe e Hans Poelzig.

Entre os principais eventos que marcaram a história da arquitetura expressionista estão:

  1. exposição Werkbund (1914);
  2. conclusão e temporada teatral de Grosses Schauspielhaus (Berlim, 1919);
  3. cartas Glass Chain;
  4. atividades da Amsterdam School.

Como legado, a arquitetura expressionista influenciou a arquitetura moderna, a art déco e o  desconstrutivismo.

Quais são as principais características do expressionismo na arquitetura?

Entre as características da arquitetura expressionista estão a experimentação, a inovação formal e os volumes extremamente incomuns.

Apesar de tentar evitar os dogmas estéticos, é possível estabelecer alguns critérios em comum nas construções da arquitetura expressionista, entre eles estão:

  • distorção de elementos, formas e cores para um efeito emocional;
  • esforço para alcançar algo novo, original e visionário;
  • tendência para o gótico;
  • apropriações da arte e arquitetura mourisca, islâmica, egípcia, indiana, romana e grega;
  • concepção da arquitetura como obra de arte;
  • zoomorfismo (edifícios com forma de animais);
  • antropomorfismo (com formas humanas);
  • visão emocional e subjetiva do mundo;
  • dissolução de normas clássicas de composição;
  • exploração da plasticidade do concreto;
  • monumentalidade.

Também foi muito importante para o expressionismo na arquitetura o uso de novos materiais como tijolo, aço e vidro.

Atualmente, considera-se como arquitetura expressionista as construções que contenham algum tipo de distorção, fragmentação ou a comunicação de uma emoção violenta.

Arquitetura expressionista no Brasil

Apesar de ser um movimento autenticamente europeu e mais restrito às décadas de 1910, 1920 e 1930, a arquitetura expressionista tem seu legado em construções dos anos 1960 no Brasil, especificamente no interior de Santa Catarina.

Isso se deu por conta de duas construções que os alemães Dominikus e Gottfried Böhm, pai e filho, criaram para as cidades de Blumenau e Brusque.

As obras são as Igrejas Matriz São Paulo Apóstolo (1953-1958), em Blumenau, e São Luiz Gonzaga (1955-1962), em Brusque.

Há nessas edificações uma amplitude do expressionismo e o ressurgimento dessa tendência por meio do neoexpressionismo.

Gottfried começou sua carreira após a Segunda Guerra Mundial, ao lado do pai, que tinha inúmeras encomendas internacionais, inclusive do Brasil.

A obra de seu pai, Dominikus, se destacou nos anos 1920 e 1930 por conta de sua ousadia e experimentações que flertaram com elementos do gótico, utilizando a dramaticidade dos contrastes entre luz e sombras.

Quer saber mais sobre como essa tendência atingiu outras artes no nosso país? Leia o nosso texto “Expressionismo no Brasil: características, artistas e obras”.

5 principais construções da arquitetura expressionista

1 – Torre de Einstein – Erich Mendelsohn (Potsdam/1917-1921)

Torre de Einstein - Erich Mendelsohn

Crédito: Fahrenheit Magazine

2 – Casa da Navegação  – Johan Van der Mey, Piet Kramer, Michel de Klerk (Amsterdã/1912-1916)

Casa da Navegação  - Johan Van der Mey, Piet Kramer, Michel de Klerk

Crédito: Coisas da Arquitetura

3 – Pavilhão de Vidro – Bruno Taut (Colônia/1914)

Pavilhão de Vidro - Bruno Taut

Crédito: Open File Blog

4 – Igreja Matriz São Paulo Apóstolo –  Dominikus e Gottfried Böhm (Blumenau/1953-1958)

Igreja Matriz São Paulo Apóstolo -  Dominikus e Gottfried Böhm

Crédito: Wikipédia

5 – Igreja Matriz São Luiz Gonzaga –  Dominikus e Gottfried Böhm (Brusque/1955-1962)

Igreja Matriz São Luiz Gonzaga -  Dominikus e Gottfried Böhm

Crédito: Archdaily

E você, se surpreendeu com a história e o legado da arquitetura expressionista na Europa e no Brasil?

O expressionismo esteve presente não só na arquitetura, como nas artes plásticas. É possível conferir algumas gravuras de outros estilos modernos no acervo online da Laart. Na galeria, há peças de arte moderna, arte conceitual, arte abstrata e muitas outras!

A Laart é uma galeria online de gravuras, que só trabalha com artistas nacionais e latinoamericanos renomados. As obras têm tiragem limitada e certificado de autenticidade. São mais de 15.000 gravuras disponíveis para todos os gostos e orçamentos.

Se você é arquiteto, sabe como as obras de arte são capazes de valorizar a decoração, não importa de qual estilo arquitetônico estamos falando. Pensando nisso, a Laart tem parceria com arquitetos. Seja nosso parceiro!

Crédito da foto de capa: Grande Sala de Concertos – Hans Poelzig (Breslau/1913). Coisas da arquitetura

Share with

There are no comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart
Não há produtos no carrinho.