pop art

Obras e artistas da Pop Art: humor, cotidiano e mix de referências

A Pop Art surgiu como uma reação ao consumismo e à cultura de massa. Assim, artistas como Andy Warhol e Jasper Johns produziam peças com base em temas de consumo para criticar o estilo de vida massificado.

Quer saber mais sobre o que é Pop Art e descobrir quais foram os artistas que se dedicaram a esse estilo? Então, continue lendo este artigo.

pop art“Oh, Jeff…I Love You, Too…But…”, de Roy Lichtenstein, é uma das imagens mais icônicas de Pop Art do todos os tempos. (Crédito: Daily Mail)

Quando surgiu a Pop Art: uma breve história

Embora a Inglaterra tenha sido o berço da Pop Art, onde o movimento surgiu na década de 1950, foi nos Estados Unidos que essa corrente ganhou mais notoriedade, atingindo seu ápice em 1962, em Nova York.

O crítico inglês Lawrence Alloway é considerado um de seus precursores, sendo também o fundador do Independent Group, um grupo de artistas independentes que difundiu o movimento.

Composto por pintores, escritores, escultores e críticos, o Independent Group desafiou as normas do expressionismo abstrato. Assim, seus debates se focavam em temas relacionados à cultura de massa, como a propaganda, filmes, histórias em quadrinhos e design de produtos. 

“Eu era um homem rico”, 1947, de Eduardo Paolozzi, do Independent Group, é considerada a primeira obra da Pop Art.

pop art “I was a Rich Man,” 1947, por Eduardo Paolozzi (Crédito: Tate)

Jasper Johns e Robert Rauschenberg foram os pioneiros da American Pop Art. No entanto, foi Andy Warhol o grande responsável pela fama do movimento. Afinal, suas obras são famosas até hoje e representam o estilo de vida centrado na arte pop.

A Pop Art também fez história no Brasil. Leia “Pop Art no Brasil: principais artistas e obras nacionais” e saiba tudo sobre o assunto!

Pop Art: artistas e técnicas

A iconografia de Jasper Johns

Com uma criatividade fora do comum, Jasper Johns transformava imagens do cotidiano em ícones do imaginário da Pop Art. Ele foi único ao transpor para o cenário artístico peças como mapas e bandeiras.

Não foi à toa que esse mestre ficou conhecido como “Flag” (1954-55). Afinal, depois de sonhar com a bandeira americana, ele começou a pintá-la de diversos modos, com cores diferentes das do símbolo americano, com rabiscos e sobreposições. Assim, esse trabalho se tornou uma das obras mais importantes e radicais da Pop Art.

pop art “Flag” por Jasper Johns (Crédito: Jasper-Johns.org)

A colagem de Robert Rauschenberg

Para incorporar o cotidiano em suas obras, muitos artistas da Pop Art aplicavam a técnica de colagem em seus trabalhos.

Foi isso que fez o vanguardista Robert Rauschenberg ao combinar uma variedade de meios como jornais, revistas e imagens da televisão e do cinema em suas peças. Com habilidade, talento e, é claro, muita criatividade, Rauschenberg manipulava e multiplicava as imagens das mais diferentes formas.

Grande parte das obras de Pop Art de Rauschenberg apresenta o conceito “combine painting”. Por meio dele, o artista incorporava jornais, embalagens de produtos e outros objetos descartados que recolhia nas ruas em suas peças.

pop art “Charlene” por Robert Rauschenberg (Crédito: Rauschenberg Foundation)

O humor criativo de Roy Lichtenstein

Uma das características que definem a Pop Art é a utilização do humor e da paródia para criticar a cultura popular.

Foi isso que fez de Roy Lichtenstein um ícone nesse sentido. O artista utilizava as histórias em quadrinhos de modo diferente, alterando o seu significado por meio de mudanças de contextos e palavras.

pop art “Drowning Girl” por Roy Lichtenstein (Crédito: MOMA)

A serigrafia de Andy Warhol

Conhecido como “O Pai da Pop Art”, Andy Warhol revolucionou o movimento ao deixar os pincéis de lado e utilizar a serigrafia (também conhecida como Silk Screen) para reproduzir mensagens repetidas e, assim, promover críticas:

  • à impessoalidade;
  • ao consumismo;
  • à mecanização da sociedade;
  • à frieza da massificação.

Muitos dos trabalhos mais importantes de Andy Warhol com Pop Art envolveram o processo de Silk Screen, como a sua obra “Campbell’s Soup Cans”, um ícone dessa corrente artística.

pop art“Campbell’s Soup Cans” por Andy Warhol (Crédito: MOMA)

A versatilidade de Peter Blake

O britânico Peter Blake é um dos representantes mais ilustres da Pop Art ao conseguir incorporar vários materiais em suas obras. Esse artista plástico também é gravurista e ficou famoso ao desenhar a capa do disco Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles, em 1967.

Essa peça emblemática une colagem, gravura e escultura e, é claro, foi inspirada em ícones da cultura popular.

pop art“Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” por Peter Blake (Crédito: Artsy)

Utilizando métodos que tornavam a sua arte acessível a todas as audiências, Blake sempre foi sublime ao valorizar o caráter efêmero da cultura popular. Fazia muito bem isso ao homenagear a criação de mitos, fossem eles lutadores, músicos, celebridades ou obras de arte clássicas.

Se você gosta de Pop Art, não pode deixar de conhecer o trabalho de um dos mais célebres artistas brasileiros desse gênero. Para isso, basta ler: “Claudio Tozzi: biografia e obras do pop artista brasileiro”.

Felizmente, o movimento Pop Art se mantém vivo até hoje, sendo muito bem representado por artistas como Jeff Koons, Ed Ruscha, Damien Hirst, Claes Oldenburg e Yayoi Kusama.

pop art “Installation” por Yayoi Kusama (Crédito: Style Lingua)

Agora que você soube mais sobre esse movimento incrível, que tal conhecer peças únicas desse estilo? Clicando aqui, você tem acesso a mais de 75 gravuras de artistas brasileiros e internacionais, como Kleber Ventura, Claudio Tozzi, Angelo de Aquino, Antonio Dias e muito mais! Todas elas são originais, têm certificado de autenticidade e chegam, com toda segurança e conforto, a sua casa.

 

Share with

There are no comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart
Não há produtos no carrinho.