Não há produtos no carrinho.
luiz sacilotto

Conheça a vida e a obra do artista Luiz Sacilotto

Com forte personalidade artística, Luiz Sacilotto transitou entre diferentes campos, o que comprova sua versatilidade. Assim, atuou como pintor, desenhista e escultor, destacando-se sempre por seu trabalho de elevada qualidade e visão.

Muito longe da obviedade, Luiz Sacilotto chamou a atenção pela originalidade de suas obras. Seus trabalhos exploraram diversas facetas, mas nenhum o rotulou, já que o artista vivenciou diferentes períodos, movendo-se entre o figurativismo, o abstracionismo até chegar, por fim, à arte concreta.

Quer conhecer mais sobre a carreira de Luiz Sacilotto, sua biografia, obras e sua contribuição no cenário da arte nacional? Continue lendo!

Luiz Sacilotto: biografia

A biografia de Luiz Sacilotto expressa exatamente o que são suas obras. Ou seja, é cheia de movimento, força e lucidez.

Nascido em 1924, em Santo André (São Paulo), sua vocação para a arte acontece cedo, quando, ainda menino, ingressa, em 1938, na Escolha Profissional Masculina do Brás. É lá que o gênio tem seus primeiros contatos com a pintura.

Logo, aos 17 anos, conquista seu primeiro emprego, atuando como desenhista de letras de alta precisão. Sua aptidão e gosto pela arte fazem parte de seu dia a dia, já que o artista, em seu tempo livre, dedica-se ao desenho.

Em seus primeiros trabalhos, o caráter figurativo fala mais alto, assim expresso por paisagens e retratos. Depois, começa a demonstrar uma inclinação expressionista. Assim, em 1947, parte para abstração geométrica e, então, como resultado aparente de um processo natural, torna-se um dos precursores da arte concreta brasileira. 

Com cores e formas dominando o seu estilo, Luiz Sacilotto chama a atenção por sua personalidade de vanguarda. E é exatamente essa característica que o aproxima da estética do Grupo Santa Helena, um tipo de associação de pintores desapegada a conceitos.

Logo, o pioneirismo do artista faz com que ele una suas pinturas a de outros colegas. Assim, do reencontro de antigos companheiros, nasce a mostra “4 Novíssimos” no Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), no Rio de Janeiro, formada por ele, Marcelo Grassmann, Octávio Araújo e Carlos Scliar, Essa união é tão certeira que a mostra marca a carreira desses quatro artistas. Assim, eles ficam conhecidos como Grupo Expressionista.

Pouco tempo depois, Luiz Sacilotto faz sua exposição “19 Pintores”. Realizada na Galeria Prestes Maia, em São Paulo, o evento reúne as principais pinturas do artista. Assim, devido a essa mostra, entra em contato com figuras emblemáticas do cenário artístico, como Waldemar Cordeiro, Lothar Charoux, Geraldo de Barros, Kazmer Féjer, Leopoldo Haar e Anatol Wladyslaw. Desse encontro nasce o famoso Grupo Ruptura.

A relação com esses gênios da arte estimula a evolução e o aperfeiçoamento teórico de seu trabalho que, desde 1949, já exibe fortes indícios de consciência abstrato-construtivista expressos, de maneira sublime, em suas pinturas e peças feitas em serigrafia.

Em seguida, o concretismo começa a tomar a conta de suas obras, tanto que em 1960, participa da Exposição Internacional de Arte Concreta, na Suíça. Essa mostra é organizada por ninguém mais, ninguém menos que Max Bill, um dos precursores mundiais do concretismo.

Três anos depois, Luiz Sacilotto ajuda a fundar Associação de Artes Visuais Novas Tendências. Nessa época, o artista já é bastante conhecido no circuito das artes. Logo, por seu trabalho emblemático, é considerado um dos maiores representantes da arte concreta no Brasil. 

Bastante seduzido pelas figuras geométricas que dão a sensação de movimento, o artista explora a ilusão de ótica em sua pintura. Dessa forma, também é considerado um dos precursores da Op Art no país.

Carlos Cruz-Díez, conhecido como o “Mestre das Cores venezuelano”,  também foi um importante artista da Op Art. Clique aqui e conheça suas gravuras hipnotizantes. 

Luiz Sacilotto: obras, exposições e prêmios

O trabalho de Luiz Sacilotto explora as percepções ao mostrar elementos aparentemente opostos entre si, como o cheio e o vazio. Além disso, revela a complexidade do simples, por meio de obras tridimensionais e utiliza materiais não convencionais como alumínio, latão e ferro. Todas as suas peças têm fundamento e promovem a reflexão, o que demonstra o espírito vanguardista e lúcido do artista.

Recebedor de vários prêmios, Luiz Sacilotto dá adeus à vida e à arte em 2003 e deixa um legado que jamais será esquecido por quem o admira. 

  • Exposição Nacional de Arte Concreta, em São Paulo; 
  • Exposição Arte Moderna do Brasil, no Rio de Janeiro – ocorrida também em várias cidades europeias;
  • Exposição do Projeto Construtivo Brasileiro de Arte na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no MAM do Rio de Janeiro;
  • Bienais Internacionais de São Paulo;
  • Bienal Brasil Século XX; 
  • Bienal de Veneza;
  • Exposição Tradição e Ruptura, da Bienal do Mercosul;
  • Mostra Konkrete Kunst, em Zurique;
  • Retrospectiva de carreira no MAM de São Paulo.

Entre os prêmios recebidos por Luiz Sacilotto destacamos:

  • Prêmio de artes visuais da Associação Paulista dos Críticos de Arte (em 1989 e 2000);
  • Prêmio Melhor Conjunto da Obra da Associação Brasileira de Críticos de Arte (2000);
  • Prêmio Governador do Estado do Salão Paulista de Arte Moderna, entre outros. 

Luiz Sacilotto: principais obras 

Na década de 1940, influenciado pelo figurativismo, Sacilotto cria retratos e também pinturas de paisagens e natureza-morta. Com o tempo, seu trabalho é tomado pelo expressionismo. Alguns exemplos são os quadros Retrato do Pintor Octávio Araújo (1947) e Retrato de Helena (1947).

luiz sacilotto

Retrato de Helena | Crédito: Enciclopédia Itaú Cultural

luiz sacilotto obrasFigura | Crédito: Enciclopédia Itaú Cultural

Em 1950, Sacilotto deixa definitivamente a figura e cria a Pintura I, que apresenta traços formais próximos aos da obra de Piet Mondrian (1872-1944).

luiz sacilotto pinturas

Pintura I – Crédito: Enciclopédia Itaú Cultural

A partir de 1954, Sacilotto começa a dar às pinturas, relevos e esculturas o título de Concreção. Logo, as enumera de acordo com o ano e sequência de produção.

A fascinante gravura abaixo está no acervo da Laart. Clique aqui e saiba mais sobre ela. 

luiz sacilotto op art

Crédito: Laart. Foto de Joca Meirelles

No ano 2000, como homenagem da prefeitura de Santo André, terra natal do artista, a escultura Concreção 0005 é instalada no calçadão da Rua Oliveira Lima. A obra, produzida em aço carbono pintado, tem quatro metros de altura.  

 Em 2015, a obra foi restaurada: ganhou uma nova pintura, foi instalada agora sobre uma plataforma e também recebeu um sistema de iluminação.

casa do olhar luiz sacilotto

Crédito: ABC do ABC

A Casa do Olhar Luiz Sacilotto também é outro legado do artista em sua cidade natal. A instituição incentiva a produção e reflexão artística sobre as artes visuais, em especial das artes plásticas na cidade. 

Inspiradoras as obras de Luiz Sacilotto, não acha? Imagine só ter uma delas em casa! Para isso, há galerias de arte especializadas, como a Laart, que conta gravuras originais do artista Luiz Sacilotto. Todas elas vêm com certificado de autenticidade e chegam com segurança até você.

Compartilhar com

Comments

  • Amei, quero conhecer mais dele.

    maria meneses
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *