Não há produtos no carrinho.
o que é xilogravura

O que é xilogravura? Conheça a história e artistas que marcaram a técnica

A arte apresenta infinitas possibilidades, assim como a criatividade. Logo, é possível utilizar diferentes tipos de materiais para criar. Neste post, vamos explorar o que é xilogravura, a história da xilogravura na arte e conhecer um pouco os artistas que usaram esse método de gravura.

O que é xilogravura?

A xilogravura se caracteriza por um dos métodos de impressão mais antigos. Essa técnica se baseia no corte de uma figura em superfície de madeira que, em seguida, é coberta de tinta e, assim, impressa em outro local, como um tecido ou papel.

A arte da xilogravura é realizada em três etapas. Trata-se de um processo bastante minucioso, que requer atenção, habilidade e alto detalhamento. Confira a seguir o passo a passo.  

  1. Utilizando a madeira, o artista esculpe uma figura com instrumentos com lâminas afiadas, chamados de goivas. Com elas, os materiais de áreas que não passarão pelo processo de impressão são removidos. Nessa etapa é preciso ter muito cuidado ao cortar as linhas, pois a madeira pode quebrar e a imagem pode ser danificada.  Qualquer erro, o artista terá que retornar ao início do processo;
  2. Assim, cobre-se com tinta o bloco de madeira entalhada já criado. Isso é feito por meio de pequenos rolos. Logo, é preciso muita delicadeza para aplicar a tinta somente nos espaços que não forem cortados;
  3. Nessa fase, o bloco com tinta é pressionado na superfície desejada e, assim, a impressão da imagem é realizada. 

A xilogravura abaixo é de Sérvulo Esmeraldo e faz parte do acervo da Laart! Clique aqui e saiba mais sobre essa peça sensacional.

o que é xilogravura

Crédito: Laart. Foto de Joca Meirelles

História da xilogravura

A história da xilogravura é antiga, já que os seus primeiros registros datam do século V e aconteceram na China. Logo, a técnica se expandiu para o Japão, sendo que, em seu início, o método era usado para imprimir textos como escrituras budistas.

Na Europa, a história da xilogravura se confunde com a da comercialização do papel, no século XIV, e aconteceu, primeiramente, na Alemanha e na França.

Como uma bela resposta ao crescimento dos livros, as xilogravuras funcionavam de forma simultânea como um meio popular de ilustrações. Assim, muitos artistas utilizavam essa técnica para produzir cenas de paisagens, da Bíblia e de obras famosas. Logo, o método despontou como uma forma de tornar as peças de arte mais acessíveis.

Em seguida, a arte da xilogravura entrou em declínio. Isso porque métodos de impressão mais sofisticados foram desenvolvidos. Sendo assim, muitos artistas preferiram utilizar placas de metal para imprimir em vez da madeira. No entanto, vale destacar que a técnica não desapareceu, pois muitos ainda utilizavam a xilogravura para reproduzir cartazes e folhetos.

No Japão, em 1700, as xilogravuras eram utilizadas com o objetivo de elaborar imagens refinadas, em um estilo de arte conhecido como ukiyo-e. Por meio desse movimento, cenas do cotidiano e de paisagens eram registradas com o intuito de mostrar a brevidade da vida.

Assim, com o decorrer do tempo e da história, a xilogravura encontrou adeptos diversos de épocas distintas.

Na Europa, a técnica ressurgiu no fim do século XIX e início do século XX, quando artistas como Paul Gauguin e Edvard Munch, passaram a utilizar esse método com o objetivo de levar inovação às suas obras.

Leia também: “Entenda o que é serigrafia, como é o processo de impressão + obras de artistas”. 

Artistas famosos da xilogravura

Alguns artistas famosos se destacaram na arte da xilogravura. Foram eles:

Albrecht Dürer

Dürer foi um renomado artista alemão que aprendeu, ainda jovem, a utilizar a xilogravura. Com criatividade e sensibilidade, o artista transformou a técnica em uma sofisticada forma de arte. Assim, criou figuras dinâmicas e, ao mesmo tempo, delicadas. 

história da xilogravura

Crédito: Wikipédia

Hans Baldung

Discípulo de Dürer, Hans Baldung usou a xilogravura para exprimir seus trabalhos mitológicos e de visão humanista. Considerado um dos mestres mais antigos da renascença alemã e conhecido por seu olhar vanguardista, ele produziu xilogravuras de elevada qualidade. 

Artistas japoneses

Como mencionamos acima, as xilogravuras também desempenharam um papel importante na história da arte japonesa. 

No século XVII, a demanda por obras do estilo ukiyo-e aumentou bastante devido à fama do gênero. Sendo assim, a xilogravura surgiu como uma bela alternativa de  impressão. 

Vale destacar que a criação da xilogravura ukiyo-e é atribuída a Hishikawa Moronobu (c. 1618-c. 1694). Com projetos extremamente bem-sucedidos, seu modo de arte encantava a todos.

o que significa xilogravura

Crédito: Wikipédia

No século XVIII, o ukiyo-e culminou nas gravuras paisagísticas de Hokusai e Hiroshige. Muitas xilogravuras de ukiyo-e chegaram ao Ocidente no final do século XIX e influenciaram artistas de vanguarda. 

No século XX, a técnica foi revivida por mestres japoneses como Munakata Shiko, Hiratsuka Un-ité, Maekawa Senpan e Onchi Kōshirō.

Quer saber quais são as gravuras mais famosas dos últimos 300 anos? Então, clique aqui! 

Xilogravura de Cordel

A xilogravura não marcou apenas a Europa e a Ásia. A técnica também foi o meio utilizado na propagação da literatura de Cordel.

A técnica chegou ao Brasil com a vinda da Família Real para o Rio de Janeiro em 1808. Assim, os trabalhos dos xilogravadores da época se concentravam na produção de ilustrações para anúncios, livros e, até mesmo, cartas de baralho.

O primeiro folheto de xilogravura de cordel que se tem notícia foi produzido por Leandro Gomes de Barros (1865-1918). Logo, com muita criatividade e originalidade, as xilogravuras marcaram o cordel, uma prova disso é que o método é conhecido e famoso até hoje no Nordeste. Ou seja, é um marco cultural de nosso país. 

Entre os xilógrafos mais importantes — a maioria do Nordeste — presentes no acervo da Galeria Brasiliana estão: Abraão Batista, José Costa Leite, J. Borges, Amaro Francisco, José Lourenço e Gilvan Samico.

xilogravura de cordel

Crédito: Slideshare

Quer saber mais sobre xilogravura de cordel? Então, clique aqui!

A xilogravura possui traços únicos e cada obra produzida com a técnica é um convite à contemplação e à beleza expressas em forma de arte.

Gosta desse tipo de gravura? Visite o acervo de obras de xilogravura disponível em nosso site. 

A Laart é uma galeria de arte online, especializada na venda de obras em gravura originais, assinadas e de série de tiragem limitada, de importantes artistas brasileiros e latino-americanos. 

Todas as obras vêm com certificado de autenticidade e você recebe em casa com toda a segurança de comprar no marketplace mais importante do mundo de arte.

 

Compartilhar com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *