arte efêmera

Arte efêmera: o que é, origem, artistas e obras

O conceito da arte efêmera remete a um estilo de arte que não tem como principal objetivo apresentar obras que durem longos períodos. 

Na verdade, é exatamente o contrário, já que essa corrente prioriza exposições de curta duração. Nesse contexto, muitas vezes, elas ocorrem somente uma única vez. Por isso, essa manifestação também é conhecida como “arte do momento”.

Além disso, essa expressão artística se opõe ao conservadorismo e à tradição de formas mais antigas de arte, como a pintura e a escultura. Logo, fazem parte desse estilo propostas mais conceituais e abstratas, como a performance na arte e as instalações. Ou seja, o mais importante dessa corrente é o processo de criação, não o evento ou a obra.

Quer entender melhor o que é arte efêmera, conhecer sua origem, artistas, obras, e saber como essa corrente se manifestou no Brasil? É só seguir lendo!

Entendendo o que é arte efêmera e o seu contexto  

A arte efêmera é uma manifestação que compõe a arte contemporânea. Priorizando a brevidade e a natureza provisória da arte, suas produções são definidas pela materialidade do trabalho e também por seus fundamentos conceituais.

Além disso, esse estilo valoriza a experiência e a atuação do público em relação à proposta artística. Em outras palavras, muitas vezes, a arte efêmera depende de interação e da resposta de seus espectadores para existir. Sendo assim, essa corrente também não está atrelada a galerias ou a museus, pois, muitas vezes, acontece nas ruas ou em parques.

Nesse cenário, os materiais utilizados também são diferenciados dos usuais. Isso porque, em muitos momentos, essa arte contempla elementos como detritos, folhas e terra. Nesse contexto, além de priorizar a participação do público, a arte efêmera, muitas vezes, utiliza o próprio corpo do artista como meio de expressão.

Entre as principais características da arte efêmera, estão:

  • a brevidade;
  • a curta duração;
  • a obra instantânea;
  • a transitoriedade;
  • a participação do público;
  • o caráter provocativo;
  • a proposta conceitual;
  • o registro feito por fotografias e vídeos.

Arte efêmera: origem no mundo e no Brasil 

A arte efêmera surgiu na década de 1950 e conquistou seu auge nas décadas de 1960 e 1970. Nesse cenário, a participação do Grupo Fluxus foi fundamental para a disseminação desse estilo, principalmente, as performances e as instalações.

Representado por artistas plásticos, escritores e músicos de todo o mundo, esse grupo contou com um forte caráter libertário. Assim, disseminou o conceito de antiarte. Fizeram parte desse grupo nomes famosos da história, como o músico americano John Cage, a artista plástica japonesa Yoko Ono e o artista alemão Joseph Beuys.

Um dos exemplos mais emblemáticos desse estilo de arte  pode ser descrito pela performance provocativa de Joseph Beuys, que, certa vez, cobriu o seu rosto de mel e carregou em seus braços uma lebre morta. Assim, ficou transitando com ela ao longo da galeria, mostrando e explanando sobre as obras expostas no local.

No Brasil, a arte efêmera teve como precursor o intrépido e vanguardista Flávio de Carvalho. Afinal, antes desse tipo de arte conquistar seu espaço, ela já fazia experimentos sobre o assunto. Fez isso ao realizar uma performance artística em meio a uma procissão religiosa. 

Questionando a sociedade católica do período, as provocações do artista não foram bem compreendidas. Isso porque Flávio de Carvalho foi quase linchado em praça pública.

A Laart conta com gravuras icônicas de Flávio de Carvalho. Curioso em conhecê-las? É só clicar aqui

Arte efêmera:  artistas e obras

A arte efêmera é inerentemente contemporânea. Desse modo, apresenta os mais variados exemplos, entre eles a arte de rua e o grafite. Isso porque esse tipo de manifestação, além de apresentar um caráter breve pode, facilmente, ser destruído ou alterado.

No Brasil, esse estilo pode ser representado pelo grafite de Eduardo Kobra. Afinal, metade de suas obras já não existe mais, pois esse tipo de expressão artística precisa ser reformado ao longo do tempo. Caso contrário, sua existência se torna efêmera.

o que é arte efêmera

 Crédito: Exame

Outro exemplo de arte efêmera é a land art ou “arte da terra”. Isso porque, na década de 1960, ao promover a antiarte e serem contrários ao caráter comercial das obras presentes em galerias, muitos artistas começaram a evitar esses espaços. Logo, se voltaram para natureza, em lugares como montanhas, praias e desertos.

Sendo assim, seguindo formulações minimalistas, esses artistas utilizavam como material a terra e, de forma progressiva, disseminaram esse conceito. Essa manifestação se enquadra na proposta desse estilo pois também é consumida pelo tempo. Logo, apresenta um forte caráter de instantaneidade.

arte efêmera artistas e obras

Crédito: Wikipédia

Achou interessante a arte efêmera, mas prefere algo mais palpável para decorar sua casa ou, simplesmente, colecionar? Pois a Laart pode ajudá-lo bastante em relação a isso!

Criada por Luis Felipe e Manoel, duas pessoas apaixonadas por arte e que têm a gravura em seus DNAs, a Laart é uma galeria de arte online especializada na venda de gravuras originais, assinadas e de tiragem limitada.

Contando com mais de 15.000 gravuras, o acervo da galeria tem peças de todos os estilos, épocas e gostos. Todas as gravuras vêm com certificado de autenticidade e você as recebe em casa ou no ateliê, com toda a segurança e conforto que o mais importante marketplace de arte pode oferecer para seus clientes!

Quer descobrir por que as gravuras da Laart são tão especiais? É só clicar aqui!

Crédito da foto de capa: The lighthouse

Share with

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart
Não há produtos no carrinho.