Não há produtos no carrinho.

Tomie Ohtake: obras e vida da artista nipônica no Brasil

A imigração japonesa – que começou em 1908 – trouxe para o Brasil nomes que se tornaram grandes artistas em solo nacional. Uma delas é a artista plástica Tomie Ohtake cujas obras fascinam pelos contornos, cores, vigor e inovação.

Ainda não conhece essa artista nipo-brasileira incrível? Continue lendo e conheça tudo sobre Tomie Ohtake, suas obras e a biografia fascinante dessa artista.

Tomie Ohtake: biografia

tomie-ohtake-biografiaAfinal, quem foi Tomie Ohtake? Ohtake nasceu no Japão, em 1913, mas veio para o Brasil apenas em 1936, fixando residência em São Paulo.

Com 23 anos à época, ela vinha ao país apenas para visitar o irmão em terras brasileiras. Para Ohtake, o Japão era sua verdadeira casa e, até aquele momento, o único lugar que conhecia na vida.

Porém os planos mudaram, pois com o início da Segunda Guerra Mundial, a situação do Japão se tornou cada vez mais instável, intensificando-se após sua entrada oficial na guerra. O país antes calmo, virou cenário de batalhas e terminou bombardeado por duas bombas nucleares.

Por todo este cenário, o irmão de Tomie não permitiu que ela voltasse para o Japão e ela foi “forçada” a prolongar sua estada no Brasil. Aqui ela se casou e fez então do nosso país sua segunda pátria.

A vida e as obras de Tomie Ohtake foram celebradas em dezembro de 2014, pela cineasta Tizuka Yamasaki que lançou o documentário ‘Tomie’.

Em 35 minutos, Yamasaki mostra com afetividade e delicadeza o mundo da artista, unindo momentos íntimos aos depoimentos de críticos como Paulo Herkenhoff, Agnaldo Farias e Miguel Chaia. Assista ao documentário na íntegra abaixo:

Entre os 100 e os 101 anos de idade, Tomie criou cerca de 30 pinturas. Até a sua morte em fevereiro de 2015, com 101 anos, ela continuou trabalhando.

Tomie Ohtake: obras e o encontro com a arte

As pinturas de Tomie Ohtake foram suas primeiras obras. Como uma japonesa autêntica, já expressava sua arte pela caligrafia dos ideogramas do próprio idioma. Na sua terra, porém, nunca teve aulas de pintura ou de algo relacionado a arte.

Após sua chegada no Brasil, Tomie se casou e passou anos nas funções da família. Em 1951, conheceu seu primeiro mentor, o pintor Keisuke Sugano, também japonês e recém-chegado ao Brasil na época.

Com a sua mentoria, Ohtake criou seus primeiros quadros com inspiração fauvista e algumas referências cubistas – estilo que a marcaria no futuro. As obras do início da carreira de Tomie Ohtake, infelizmente, se perderam em enchentes muito comuns naquela época em São Paulo.

Dois anos depois, em 1953, já reconhecida pela comunidade artística, Tomie participou de uma exposição no Grupo Seibi, uma associação japonesa fundada em 1935, na zona sul de São Paulo, e com muito prestígio entre a comunidade da colônia.

Sua primeira aparição lhe rendeu uma menção ao seu trabalho E nos dois anos seguintes recebeu a medalha de ouro em duas oportunidades.

Mergulho nas formas

As obras da artista Tomie Ohtake foram dos estilos fauvista e cubista para o concretismo e fixaram-se por inteiro no abstrato – sua grande marca.

Perceber o olhar de Tomie Ohtake através das obras, seu cuidado com a forma, os desenhos bem traçados, as cores bem organizadas, tudo reflete essa ideia de arte bem organizada e ao mesmo tempo espontânea.

A interação entre quem observa e a obra é fácil e completa, independente de ter conhecimento técnico ou não desse tipo de estilo.

Separamos abaixo algumas obras públicas da artistas que estão espalhadas por diversas cidades do Brasil.

escultura-tomie-ohtake-avenida-23-maio

Escultura em concreto armado, Av. 23 de maio, em frente ao Centro Cultural São Paulo, 1998. | Foto: Instituto Tomie Ohtake.

memorial-america-latina-tomie-ohtake

Painel na lateral interna no Auditório do Memorial da América Latina, com 70 metros arquiteto Oscar Niemeyer, 1990. | Foto: Instituto Tomie Ohtake.

escultura-MUMA-curutiba-tomie-ohtake

Escultura da artista Tomie Ohtake em frente ao Museu Metropolitano de Arte de Curitiba (MUMA). | Foto: Divulgação.

monumento-trabalhador-tomie-ohtake

“Monumento ao Trabalhador”, no Paço Municipal de Santo André, SP, escultura de Tomie Ohtake de 2013. | Foto: Divulgação.

fachada-tomie-ohtake-sp

Fachada do Edifício Tomie Ohtake, 1985, 45 metros de altura com largura totalizada 10,80 metros.  | Foto: Instituto Tomie Ohtake.

tomie-ohtake-obras-santos

Parque do Emissário Submarino, Praia José Menino, Santos, SP (2008). | Foto:  @c_queiroz/Flickr.

gravura-Tomie-Ohtake-1967

Obra de 1967 | Reprodução Fotográfica Romulo Fialdini

gravura-Tomie-Ohtake-1970

Obra de 1970 | Reprodução Fotográfica Romulo Fialdini

pintura-Tomie-Ohtake-1968

Obra 1968 | Reprodução fotográfica Humberto Pimentel/Itaú Cultural

Exposições de obras da artista Tomie Ohtake

Tomie Ohtake e suas obras foram reverenciadas no Brasil e no mundo. Algumas de suas exposições aconteceram em:

  • Em 1957: primeira exposição individual no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Seis anos depois de começar a pintar;
  • Em 1964: São Paulo SP – 8º Salão do Grupo Seibi de Artistas Plásticos, exposição coletiva, na Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa;
  • Em 1968: Nova York (EUA) – exposição individual, no Brazilian Government Trade Bureau;
  • Em 1971: Mayaguëz (Porto Rico) – exposição individual, na Universidade Federal de Porto Rico;
  • Em 1975: Roma (Itália) – exposição individual, na Galeria de Arte da Embaixada do Brasil;
  • Em 1986: o Museu de Arte de São Paulo realizou uma retrospectiva de sua obra;
  • Em 1996: sua carreira ganhou uma nova retrospectiva em 1996 pela Bienal de São Paulo;
  • Em 2000: Rio de Janeiro RJ – Tomie Ohtake: retrospectiva, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB);
  • Em 2010: São Paulo SP – Tomie Ohtake: pinturas novas, no Instituto Tomie Ohtake;
  • Em 2013: São Paulo SP – Pintura e Pureza, na Galeria Nara Roesler.

O legado de Tomie Ohtake e suas obras

Em 2001, foi inaugurado o Instituto Tomie Ohtake na capital de São Paulo. Um espaço projetado – arquitetônica e conceitualmente – para abrigar mostras nacionais e internacionais de artes plásticas, arquitetura e design.

A proposta do Instituto é mostrar o desenvolvimento do cenário artístico dos últimos 60 anos, período em que Tomie atuou, desenvolveu e consolidou sua própria arte.

Algumas mostras inéditas já foram realizadas no Instituto como a dos artistas:

  • Louise Bourgeois;
  • Josef Albers;
  • Yayoi Kusama;
  • Salvador Dalí;
  • Joan Miró, entre outras.

Assim como Tomie Ohtake cresceu artisticamente com a colaboração e apoio dos seus mentores, o Instituto continua seu legado através de ações e projetos não só para a comunidade artística, mas também para a sociedade em geral.

Conheça as obras originais da artista Tomie Ohtake disponíveis no nosso site. A Laart é uma galeria de arte online, especializada na venda de gravuras originais, assinadas e de série de tiragem limitada, de importantes artistas brasileiros e latino americanos.

Todas as obras vêm com certificado de autenticidade e você recebe em casa com toda a segurança de comprar no marketplace mais importante do mundo de arte.

Compartilhar com

Comments (2)

  • Excelente documentário.SEMPRE FUI GRANDE ADMIRADORA DA OBRA DE TOMIE .

    Cybele
    Responder
  • Excelente a história de vida da artista Tomie Ohtake.
    A arte é o que fica para sempre!!!

    Dalva Bomfim
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *