rubem valentim

Sincretismo religioso e a valorização da cultura brasileira: conheça a arte de Rubem Valentim

O pintor, escultor e gravurista baiano Rubem Valentim é reconhecido nacionalmente pela sua arte autêntica que mistura as formas do construtivismo com a simbologia da cultura popular brasileira, especialmente o sincretismo religioso a partir do universo das religiões afro-brasileiras.

Isso está expresso inclusive em seu “Manifesto Ainda que Tardio”, de 1979, no qual o artista afirma que “a iconologia afro-ameríndia-nordestina-brasileira está viva. É uma imensa fonte – tão grande quanto o Brasil – e devemos nela beber com lucidez e grande amor”.

Conheça mais sobre a vida e as obras deste artista que valorizava a cultura brasileira acima de tudo e o caráter político e simbólico de sua arte!

Biografia de Rubem Valentim

Nascido em 1922 na Bahia, Rubem Valentim iniciou a trabalhar com arte nos anos 1940, a partir de seus conhecimentos adquiridos de maneira autodidata.

Nascido em uma família religiosa, Rubem ajudou a mãe a preparar presépios de natal e altares de Santo Antônio, São Cosme e Damião e Senhor do Bonfim. Por isso, começou a praticar a pintura compondo o fundo de presépios.

Católico de formação, frequentava com o pai terreiros de Candomblé da cidade. A partir dessas experiências, já no início da vida, teve contato com diferentes religiosidades, o que mais tarde aplicou em seu trabalho.

Se formou originalmente em Odontologia, em 1946, e mais tarde, no início dos anos 1950, se graduou em Jornalismo, ao buscar uma formação mais humanista.

Ainda na década de 1940, quando ingressou no mundo artístico, participou de um movimento de renovação das artes plásticas na Bahia, em parceria com artistas como Mário Cravo Júnior, Carlos Bastos, Raymundo de Oliveira, Jenner Augusto e Lygia Sampaio.

A partir dos anos 1950, sua obra começou a demonstrar as referências que ele trouxe do universo religioso, especialmente do Candomblé e da Umbanda. O artista passou a utilizar signos dessas religiões em formatos geométricos de maneira rigorosa.

Na década seguinte, se dedicou também à construção de murais, relevos e esculturas em madeira.

Uma das suas principais obras como escultor é o “Emblema de São Paulo”, feita em 1979, de concreto armado, com 8,5 m de altura e que está localizada na Praça da Sé, em São Paulo. Esse trabalho é considerado pelo autor como um marco sincrético da cultura afro-brasileira.

Neste mesmo ano, Rubem Valentim foi designado pela Casa da Moeda do Brasil para criar cinco medalhões de ouro, prata e bronze e optou por recriar símbolos afro-brasileiros.

Entre os acervos que disponibilizam algumas de suas obras estão:

  • Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo – MAC/USP
  • Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM/BA
  • Museu Nacional de Belas Artes – MNBA no Rio de Janeiro
  • Pinacoteca do Estado de São Paulo

Curte biografias? Então, aproveite e confira:

Qual a identidade trabalhada por Rubem Valentim?

A identidade trabalhada por Rubem Valentim foi a do povo brasileiro em suas diversas características, especialmente o nordestino, afro e ameríndio.

Como o próprio autor afirmou em seu manifesto: “com o peso da Bahia sobre mim  – a cultura vivenciada; com o sangue negro nas veias – o atavismo; com os olhos abertos para o que se faz no mundo – a contemporaneidade; criando os meus signos-símbolos procuro transformar em linguagem o mundo encantado, mágico, provavelmente místico que flui continuamente dentro de mim”.

Tinha como objetivo a criação de uma autêntica linguagem brasileira de arte. O autor cita em seu manifesto que gostaria de estabelecer uma “riscadura brasileira”. Ou seja, uma estrutura que estaria apta a revelar a realidade brasileira de maneira sensível.

Apesar da crítica o definir como construtivista, por vezes modernista, Rubem Valentim rejeitava esses rótulos e filiação a qualquer corrente europeia em prol de uma arte brasileira.

O artista incorporava a forma construtivista, mas o universo simbólico de sua obra estava focado na cultura e na arte afro-brasileira, especialmente no sincretismo religioso e na cultura popular nordestina de suas obras.

Para Fernando Oliva, o curador de sua exposição no MASP, que ocorreu em 2018, “Valentim é um dos artistas que, de maneira mais completa e ambiciosa, levou a cabo o projeto antropofágico.

Nesse processo, realizou uma das mais radicais operações na história da arte brasileira, submetendo um idioma europeu a uma linguagem afro-brasileira, numa contribuição efetivamente singular e potente, descolonizadora e antropofágica”.

O autor se colocava contra o que ele chamava de colonialismo cultural sistemático e a subserviência aos padrões vindos de países estrangeiros.

Além disso, se considerava inquieto e emotivo, e buscava uma avidez na linguagem plástica e visual que usava.

Qual a temática de Rubem Valentim?

A principal temática das obras de Rubem Valentim foi a cultura genuinamente brasileira, como ele mesmo denominou.

Buscando as raízes culturais da nação brasileira, Rubem Valentim teve muita inspiração na iconologia afro-ameríndia-nordestina-brasileira. Percorreu um caminho artístico que caminhou entre o popular e o erudito.

Para ele, “a arte é tanto uma arma poética para lutar contra a violência, como um exercício de liberdade contra as forças repressivas: o verdadeiro criador é um ser que vive dialeticamente entre a repressão e a liberdade”.

Além de sua arte, suas palavras eram inspiradoras para a época que o país passava, a ditadura militar. Sua obra se relaciona diretamente com as inquietações vividas por artistas durante esse período.

5 imagens das obras de Rubem Valentim

Emblema de São Paulo (1979)

rubem valentim - Emblema de São Paulo

Crédito: Wikipédia

Emblema V

rubem-valentim - Emblema V 

Crédito: Laart. Foto de Joca Meirelles. 

Objeto emblemático II (1975)

rubem valentim - Objeto emblemático II

Crédito: MAM

Composição nº 5 (1953)

rubem valentim - Composição nº 5

Crédito: Enciclopédia Itaú Cultural 

Sem título (1968)

rubem valentim - Sem título (1968)

Crédito: MAC/USP

Emblema III (1990)

rubem valentim - emblema III

Crédito: Laart. Foto de Joca Meirelles. 

E você, o que achou da história de vida e obras de Rubem Valentim? Se identificou com as temáticas e propostas do autor de resgatar a cultura brasileira?

Aproveite para conhecer as gravuras exclusivas do artista disponíveis na Laart, assim como a de outros artistas brasileiros e latino-americanos.

A Laart disponibiliza apenas obras originais, assinadas e de tiragem limitada. Conheça melhor o nosso acervo!

Foto de capa: Nutrição Visual

Share with

There are no comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart
Não há produtos no carrinho.